Empresas alemãs Bayer e BASF lutam multa de US $ 265 milhões por causa de herbicida



A gigante química alemã Bayer deve recorrer da sentença de US $ 265 milhões do tribunal de Missouri para um produtor de pêssegos dos EUA que culpou um herbicida por danos às culturas.

O fazendeiro Bill Bader processou a Bayer e a BASF, alegando que o assassino de ervas daninhas dicamba flutuava em seu pomar de campos próximos, destruindo-os.

É a primeira decisão em cerca de 140 casos nos EUA contra o dicamba, um herbicida responsável por extensos danos às culturas.

A Bayer diz que seus herbicidas não apresentam riscos irracionais se usados ​​corretamente.

A gigante agroquímica dos EUA Monsanto, comprada pela Bayer por US $ 63 bilhões em 2018, vende herbicida à base de dicamba e um produto similar e muito criticado, o Roundup.

Os processos norte-americanos contra os assassinos de ervas daninhas da Monsanto podem custar à Bayer bilhões de dólares em danos.

Ainda não está claro como a Bayer e a BASF podem compartilhar o custo dos danos no Missouri.

A BASF disse que “usaria todos os recursos legais disponíveis” para combater a decisão de sábado de um tribunal federal de Cape Girardeau, Missouri.

Sua viagem está PRÓXIMA

RECEBA NOSSAS PROMOÇÕES
Deixe seu e-mail para receber PROMOÇÕES e NOVIDADES! 95%

As empresas foram condenadas a pagar a Bader US $ 15 milhões em danos reais e US $ 250 milhões em multas. Ele argumentou que seu pomar de 405 hectares foi destruído por dicamba.

Em comunicado divulgado na segunda-feira, a Bayer disse que “discorda claramente do veredicto do júri e está muito decepcionado”.

“Vamos recorrer rapidamente da decisão. Embora tenhamos muita empatia por qualquer agricultor que sofra perdas de safras, no caso de Bader, não houve nenhuma evidência competente apresentada que mostrasse que os produtos da Monsanto estavam presentes em sua fazenda e foram responsáveis ​​por suas perdas. . ”

Os herbicidas baseados em Dicamba foram responsabilizados por danos a milhares de hectares de plantações nos estados do meio-oeste dos EUA.

Em novembro de 2018, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) impôs restrições ao uso de dicamba, devido às preocupações dos agricultores.

A Bayer insiste que os herbicidas da Monsanto são seguros e “ferramentas valiosas para os produtores”. Os herbicidas “não apresentam risco razoável de movimento fora do alvo quando usados ​​de acordo com as instruções do rótulo”, diz a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *